Menu:

Vôo solitário,
Como solitária é a noite.
Cruzo miríades de estrelas,
Mas não me encontro em nenhuma.






 
Sites relacionados:

arrow CincoVentos Ensemble
arrow Femusc
arrow Tove's Artquilts
arrow Meu site antigo



 
Pesquisar:


you can use AND, OR, NOT operators for your search


Toquei.

    Não foi a melhor vez que toquei, nem a pior. Poderia ter sido igual a um dos ensaios, ou a como tocamos para o Tinetti. Seja como for, foi o que pude dar naquele momento. Talvez para a banca, minha mãe, talvez para esses tenha sido suficiente. Para mim não foi.

    Quero fazer melhor que isso. Quero realmente superar as falhas, deixar de brigar com o pincel e cuidar só da pintura. Quero me libertar do meio, me dedicar ao fim...
    Mas falta tanto... Principalmente, falta mais dedicação, uma dedicação que eu gostaria de dar nesse momento, mas não sei se posso...

    Não quero fechar portas. Mas também não consigo deixar todas abertas ao mesmo tempo. Preciso escolher quais eu pretendo seguir.

    Já passou da época de tentar. Preciso agir para conseguir, apostar alto e ganhar. VOU agir, VOU lutar. Também passou da época de precisar...

    Lutar! Vencer! Por que não oferecer a mim mesmo o ânimo que sempre dou aos outros? Talvez tenha cansado de me doar sempre, e nunca receber algo em troca. Está mais que na hora...


03 Jul, 2001 - thomas Comentários: 8



Já faz algum tempo, mas mesmo assim...

        "Oi... Como você está?"
        "Eu estou bem. E você?"
        "Tô bem..."

        Como é fácil tentar se enganar.

    E difícil conseguir...

    Seja como for, tudo é sempre uma questão de tempo. Mesmo que seja o que não tenho.

    Mas não existe solução. Nem mais problema. Nem questionamento. Apenas um monte de retalhos, memórias, algumas poucas fotos que pensei em deixar prá trás...

    Time it was
    And what a time it was
    It  was...

    Talvez um dia tudo isso faça diferença.

    Talvez não.

    Talvez...


29 Jun, 2001 - thomas Comentários: 7



    Conjuguei teu nome no Pretérito
        Mais que Imperfeito
    Pois que já não podia ser o meu presente o seu
         E assim construí em frases impontuadas
     Uma canção
       Que me seria cara
    Se não fosse já tão natural.

    Deixei a mágoa para os que a queriam.

      Amanhã cumprirei a minha pena (sina?) não
como quem segue ao cadafalso, apenas expectador da própria desdita.

        Mas eu diluí o fel deste vinho.
    Sorvi-lhe o amargo como se doce, e silenciosamente busquei saciar-me com o pouco que me sobrou.

            Acordei essa manhã,
            Pensando ser ontem...
            Mas não poderia,
            A vida não volta atrás.


    Acho que te desejei,
    Mas já lhe quero ausente.


25 Jun, 2001 - thomas Comentários: 9